quarta-feira, 23 de abril de 2014

Ao Infinito, e Além...!

Em busca das terras paulistas e catarinense. Com á proteção do Supremo Arquiteto do Universo... Sempre!


E retornar para as terras rondonienses!


Lá no Posto Ipiranga - quarta-feira

Mais um encontro lá no posto Ipiranga nesta quarta-feira (23); bom papo e tudo igual, porém agradável. Veja a foto de Arquivo.


100% Amazônia - Moto Grupo / Rio Branco - AC

 A Amiga e motociclista Janes Demorais, uma entusiasta do "mundo das duas rodas", comanda a Facção Rio Branco- AC do "100% Amazônia -  Moto Grupo". Pessoas dedicada ao seu Moto Grupo e ao motociclismo em geral..  A Janes  e demais integrantes do "100% Amazônia" sempre vem recebendo os amigos em Rio Branco-AC, Veja as fotos.
Janes Demorais





Entender o Espírito Motociclístico!



OPINIÃO DE PRIMEIRA

NAZIF TEM A CHANCE DE MUDAR TUDO: É AGORA OU NUNCA!

Chegou a  hora. Não tem mais como esperar. Não há mais desculpas. Nada de empurrar com a barriga. É agora ou nunca. O prefeito Mauro Nazif  tem que colocar todo o seu time na rua. Toda a estrutura disponível, todo o pessoal a que pode recorrer; todos os equipamentos disponíveis. O rio Madeira baixa num ritmo mais rápido do que se imaginava. As chuvas estão acabando. Não há  mais como postergar. Terminado o feriadão de cinco dias - a população tem que enxergar a guerra contra a buraqueira, o lixo, o barro, a sujeira que tomou conta da Capital. A Prefeitura tem que usar todo o seu arsenal,  para transformar uma cidade que está na UTI, à espera que o médico que a governa tome as medidas certas, aplique os remédios necessárias, a tire da sala de emergência e a coloque no lugar que ela realmente merece. O porto velhense está de baixo astral. Não aguenta mais tanta má notícia, vinda dos duros ataques da natureza, mas, ao mesmo tempo, da inércia, da falta de ações imediatas; da ausência do poder público em muitos setores e na maioria dos serviços.
Está nas mãos do prefeito Mauro Nazif e de toda a sua equipe, mudar completamente e para muito melhor, esse quadro a que a maior cidade rondoniense está relegada. Obras, serviços, rapidez no atendimento, máquinas nas ruas, homens nas ruas, fim dos buracos, limpeza, chamamento da comunidade a partir de uma nova vida para Porto Velho: tudo isso tem que ocorrer ao mesmo tempo e rapidamente.É fácil? Claro que não é. Mas se Nazif e sua turma fizerem a sua parte direito, o cidadão e a cidadã vão atrás, apoiando, incentivando, participando. Ou o Prefeito faz isso agora ou não fará mais, porque pode deixar esvair-se entre seus dedos, por inação, a chance de transformar a Capital naquilo que ele prometeu em campanha. Portanto, mãos à obra!
 PIB REUNIDO - Um grupo de pesos pesados da economia de Porto Velho, responsável por boa parte do PIB da Capital, começou a se mobilizar, em busca de alternativas e projetos que possam tirar a cidade da situação em que ela se encontra. Na semana passada, eles se reuniram pela primeira vez. Eram mais de meia centena. Voltam a se encontrar no próximo dia 29, quando serão apresentadas as primeiras sugestões concretas de medidas para apoiar a cidade a sair do triste cenário em que ela está. Os empresários estão se mexendo. Querem participar e querem resultados.
MAIS UM CASTIGO - Problemas na área de captação de água da Caerd no Bate Estaca, deixaram grande parte de Porto Velho sem água tratada antes e durante o feriadão. A população, já sofrendo de tantas perdas e danos, ficou sem mais um serviço essencial. A Caerd só avisou depois do caso ter se tornado grave, por isso o consumidor não pôde se precaver. As equipes trabalharam duro na quinta e na sexta, mas o atendimento, durante os últimos dias, foi muito precário. Mais um castigo imerecido para a cidade, que já está padecendo de tantos males...
 MOLEZA MULTIPLICADA - Feriadão e mais feriadão. No primeiro semestre de 2014 haverá cinco feriados prolongados como esse da Semana Santa e Tiradentes, emendados. Virão ainda o Dia do Trabalho e Corpus Christi, que caem em dias de semana, Já no segundo  semestre, acaba a moleza exagerada, felizmente. Todas as datas de feriados nacionais cairão em um sábado ou em um domingo, exceto pelo Natal e Ano Novo. Enorme prejuízo para a economia do país. Mas, numa terra em que a moleza faz parte do DNA do povo, quem está preocupado com isso?
 HISTÓRIA SUBMERSA - Todos querem resolver o problema, mas não sabem o que fazer, até pelo inusitado do tema. Como proteger as peças históricas da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, que pela primeira vez em décadas, ficaram embaixo d´água, por causa da enchente histórica do rio Madeira? Especialistas no assunto devem ser chamados para Rondônia, para apresentar sugestões. Uma delas é tirar as antigas locomotivas e principais peças de onde elas estão e transportá-las para o prédio do Relógio. Mas a verdade é que ninguém sabe como resolver a encrenca.
 BLEFANDO? - Apoiado pelas principais lideranças do seu partido, o deputado federal Padre Ton anda percorrendo todas as regiões do Estado, apresentando-se como pré candidato ao Governo. Os petistas trabalham como se não houvesse qualquer chance de repetir a aliança com o PMDB de Confúcio Moura. O partido pode mesmo decidir pela candidatura próprio ou está blefando, para tentar impor o nome do vice na chapa a ser liderada pelo atual governador. Nesse momento, é a primeira hipótese a mais plausível. Mas ainda pode sair o acordo.
 MISTÉRIO ELEITORAL - Nas redes sociais, uma espécie de batalha contra e pró Expedito Júnior ocorre todos os dias. A turma que quer ver Expedito disputando o Governo, posta fotos e mensagens afirmando que o TSE teria decidido que ele pode mesmo concorrer. Já seus opositores divulgam que ele, Expedito, está impedido de ser candidato nas eleições de outubro. A verdade é que o mistério continua e só lá na frente se saberá se Expedito, que tem aparecido como favorito na maioria das pesquisas, poderá ou não participar da dispouta.
 PERGUNTINHA - Quando a população de Porto Velho começará a comemorar mudanças importantes, que vão melhorar realmente a infraestrutura da cidade?
Fonte: Jornalista Sérgio Pires

terça-feira, 22 de abril de 2014

CONVITE - Desafio Esparta / 2014

Asturias / Espanha

PONTES E MURALHAS

A vida é como um canteiro de obras. Estamos sempre construindo. Nossos sentimentos, nossos relacionamentos e nossas atitudes (de ação ou omissão) formam a base de tudo que construímos ao longo da existência. Essas construções delimitam, por sua vez, os espaços da nossa existência.

"As pessoas vivem solitárias porque constroem muralhas, em vez de pontes". Há muita verdade contida neste pensamento. É como se tivéssemos nele a síntese da engenharia do cotidiano. Quem constrói pontes para si está construindo também saídas alternativas, possibilidades de intercâmbio, de interação: trocas tanto de experiências como de afetos.

A vida também é como uma estrada de mão dupla: ida e vindas se alteram. Quem constrói pontes, expande vida, amplia visão, ultrapassa fronteiras, pois as pontes nos põem em contato com o mundo, os outros, levam-nos além de nós mesmos, ao mesmo tempo em que trazem o mundo e as pessoas a nós. Pontes são ´pontos de contato e podem ser vias de suprimento de carência, mesmo daquelas que tentamos negar.

Já as muralhas são símbolos de isolamento. Isso também é verdadeiro na dimensão psicológica, afetiva e espiritual da existência humana. O isolamento decorre de nossas inseguranças, nossas intolerância, nossa inabilidade em compartilhar sentimentos, nossa incapacidade de conviver com as diferenças. As muralhas que construímos são a mais clara projeção tanto do nosso egocentrismo como da nossa idiotice crônica. Só os tolos pensam que bastam a si mesmos.

São muitas as muralhas que construímos ao longo da vida pela ilusão do poder, do dinheiro, do conhecimento, do status social, dos vários preconceitos sociais, religiosos e raciais etc. Algumas dessas muralhas são edificadas lenta e silenciosamente na alma e no coração. São verdadeiras paredes levantadas pelo ressentimento, pela inveja, pelo rancor, pela arrogância, pela disposição de não perdoar, pela vaidade; enfim, pelo lixo petrificado dentro de cada um de nós.

As pessoas que vivem por trás dessas muralhas são infelizes, solitárias, amargas e vazias. Não percebem que, a medida que se fecham para os outros, pelo isolamento afetivo e social, fecham-se também para a vida e tornam-se autodestrutivas.

Como Ponte divina, Jesus nos transportou da volta para os braços do Pai, deixou-se nos, entre tantas, uma grande lição de humanidade. Ao abrir mão da glória. Ele derrubou muralhas, para habitar entre n~´os e servir-nos em amor. Construiu pontes. Ele se fez o Caminho. Transformou-se em \Ponte para ligar o céu a terra. Então, transportou dos celeiros para o coração humano os nutrientes essenciais à vida: amor, fé, esperança, alegria, humildade, perdão, paz e solidariedade.

Se posso decidir amar, por que morrer na solidão? Se posso servir, por que cruzar os braços? Construir pontes ou muralhas é decisão de cada um!
Fonte: Estevan Fernandes - Jornal Alto Madeira

MEIO AMBIENTE - Usina Hidrelétrica Jirau assume morte de peixes

Acidente aconteceu no comissionamento de testes de uma das casas de força

A Superintendência do Ibama em Rondônia aguarda a finalização de um relatório apurado a mortandade de peixe após teste em uma das turbinas da Usina Hidrelétrica Jirau, na região de  Porto Velho. "Não foi no vertedouro o incidente, mas no comissionamento de testes de uma das casas de força", informou a assessoria de imprensa da Energia Sustentável do Brasil, consórcio responsável por Jirau.
Fonte: Jornal Alto Madeira


Sempre vou afirmar: "MALDITAS USINAS PARA PORTO VELHO"