sexta-feira, 21 de novembro de 2014

MENSALÃO - Polícia Federal abre inquérito contra Lula

Ex-presidente agora é investigado como suspeito de intermediar repasse de 7 milhões de reais da Portugal Telecom ao PT; acusação partiu de Marcos Valério


Lula
A Polícia Federal confirmou, nesta sexta-feira, ter aberto inquérito para investigar a atuação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em uma das operações financeiras do mensalão. Agora, Lula é oficialmente investigado por sua participação no esquema que movimentou milhões de reais para pagar despesas de campanha e comprar o apoio político de parlamentares durante o primeiro mandato do petista.

O presidente teria intermediado a obtenção de um repasse de 7 milhões de rais de uma fornecedora da Portugal Telecom para o PT, por meio de publicitários ligado ao partido. Os recursos teriam sido usados para quitar dívidas eleitorais dos petistas. De acordo com marcos Valério, operador do mensalão, Lula intercedeu pessoalmente junto a Miguel Horta, presidente da Companhia portuguesa, para pedir recursos. As informações eram desconhecidas até ao ano passado, quando Valério - já condenado - resolveu contar parte do que havia omitido até então.

A transação investigada pelo inquérito estaria ligada a uma viagem feita por Valério a Portugal em 2005. OI episódio foi usado,no julgamento do mensalão, como uma prova da influência do publicitário em negociações financeiras envolvendo o PT.

O pedido de abertura de inquérito havia sido feito pela Procuradoria da República no Distrito Federal. As novas acusações surgiram em depoimentos de marcos Valério, o operador do mensalão, à Procuradoria-Geral da República. Como Lula e os outros acusados pelo publicitário não têm foro privilegiado, o caso foi encaminhado à representação do Ministério Público Federal em Brasília. Ao todo, a PGR enviou seis procedimentos preliminares aos procuradores do Distrito Federal. Um deles resultou no inquérito aberto pela PF. Outro, por se tratar de caixa dois, foi enviado à Procuradoria Eleitoral. Os outros quatro ainda estão em análise e podem ser transformados em outros inquéritos.

Segredos - Com a certeza de que iria para cadeia, marcos Valério começou  a contar os segredos do mensalão em meados de setembro, como revelou  a VEJA. Em troca de seu silêncio, Valério disse que recebeu garantias do PT que sua punição seria amena. Já sabendo que isso não se confirmaria no Supremo - que o condenou a mais de 40 anos por formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro - e, afirmando temer por sua vida, ele declarou a interlocutores que Lula "comandava tudo" e era o"chefe" do esquema.

Puco depois, o operador financeiro do mensalão enviou, por meio de seus advogados, um fax ao STF declarando que estava disposto a contar tudo o que sabe. No início de novembro, nova reportagem de VEJA mostrou que o empresário depôs à PGR na tentativa de obter um acordo de delação premiada - um instrumento pelo qual o envolvido em um crime presta informações sobre ele, em troca de benefícios.

Desde o princípio, Lula afirmou que "não sabia" do esquema do mensalão (Leandro Martins/Futura Pres/VEJA)

Fonte: Gabriel Castro, de Brasília / Jornal Correio da Mata /Rolim de Moura-RO


MÉDICOS - Projeto facilita exercício da medicina no Brasil para profissionais formados na Bolívia

A iniciativa é do senador da República Odacir Soares (PP-RO) que, ao justificar o Projeto de lei apresentado, relembrou a escassez de médicos atuando no Brasil e a enorme demanda de formados na Bolívia

O senador Odacir Soares (PP-RO) apresentou Projeto de lei importantíssimo para os profissionais brasileiros que se formam em medicina na Bolívia e, por conta de duras imposições da revalidação, não conseguem exercer ofício em seu país de origem.

O projeto altera disposição da lei de Diretrizes e Bases da Educação (9.394/96) e da Lei 12.842/13, que dispõe sobre o exercício da medicina. Na primeira delas será acrescido um parágrafo em seu Art. 48, que versa:

"Os diplomas de cursos de graduação em medicina expedidos para brasileiros, por instituição de educação superior sediado no Estado Plurinacional da Bolívia, terão revalidação simplificada, na forma do regulamento".

Já na segunda lei, serão adicionados dois novos parágrafos ditando, respectivamente: "Ao brasileiro portador de diploma de curso de graduação em medicina expedidos por instituição de educação superior sediada no Estado Plurinacional da Bolívia, revalidado de forma simplificada, nos termos do § 4º do art. 48 da lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, é permitido o exercício da profissão, mediante registro no Conselho Regional de Medicina" e "Os critérios, as condições e as regiões do território nacional em que será permitido o exercício da Medicina nos termos do § 1º serão definidos em regulamento".

A iniciativa do senador Odacir Soares levou em conta o problema da escassez e da má distribuição e médicos no território brasileiro que, segundo o parlamentar, é crônico e de difícil solução.

Para Soares, existem enormes disparidades na distribuição dos profissionais, que se concentram principalmente nas Regiões Sul e Sudeste - quase três quartos do total -, no litoral e nas capitais dos estados. Dessa forma, significativa parcela da população, especialmente os moradores da Amazônia, do sertão nordestino e das regiões de fronteiras, sofre com a falta de assistência médica.

De acordo com o último levantamento publicado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), o Estado de Rondônia conta com 1,11 médico para cada grupo de mil habitantes, contra uma média nacional de 1,95. Essa situação se repete em outros estados da Região Norte. Além de haver poucos médicos atuando na região, a maioria se concentra nas capitais, com poucos se aventurando a trabalhar nos pequenos municípios do interior. 

-Ao mesmo tempo em que há escassez de médicos, existe um grande contingente de profissionais brasileiros graduados na Bolívia que não consegue exercer a medicina em nosso país, em função da enorme dificuldade para obter a revalidação ou o reconhecimento do diploma. São profissionais altamente capacitados, formados em universidades idôneas do país andino, cuja  qualidade é atestada pelo Ministério da Educação do Estado Plurinacional da Bolívia - justificou Odacir.

Em seguida, concluiu: -É inadmissível que a burocracia do processo de revalidação de diplomas médicos estrangeiros, no Brasil, represente um obstáculo ao provimento de assistência médica à população carente e à consolidação da integração latino-americana - finalizou o senador.

Fonte: Jornal o Estadão do Norte



ESPUMAS FLUTUANTES DE UMA EMBLEMÁTICA IGUALDADE RACIAL

Nada mais apropriado do que os dizeres do poeta e escritor Castro Alves ─ “Oh! Bendito o que semeia /Livros... livros à mão cheia... /E manda o povo pensar! /O livro caindo n'alma /É germe -- que faz a palma, /É chuva -- que faz o mar” ─ para iniciar a apresentação deste texto sobre o ‘Dia da Consciência Negra’.
Sinceramente e me perdoem todos os pensadores contemporâneos que discordam de minhas elucubrações. Entretanto, me sinto muita a vontade para falar deste assunto, pois sou negra, economicamente desfavorecida, nordestina e mulher. Praticamente integrante de todas as formas de preconceito, discriminação e exclusão. E, sempre os que se consideram poderosos por ter uma pele clara e cabelos claros nem que seja por processos químicos ainda se sentem no direito não somente em ofender e estigmatizar os diferentes, mas culpa-los por tal situação degradante.
É difícil e quase inumano em pleno século XXI o ser humano está tão longe de uma evolução significativa e de sociedade de fato democrática e com oportunidades igualitárias para todos. Para mim, que experimentei e ainda vivo todas as formas de discriminação e preconceitos, ora por cor da pele, ora por fazer parte do quadro de docentes de um determinado curso, mas tendo formação diferente, mesmo sendo de áreas afins.
Enfim, desde criança e agora na vida adulta não vejo mudanças significativas em relação à Consciência Coletiva de que somos todos iguais. As pessoas devem ser respeitadas pela sua alma e não por sua aparência ou preferências.
A mim parece que o mais importante de uma Consciência Negra ou Coletiva seja explicar a necessidade de inserir em um grupo ou em indivíduos isoladamente novos princípios morais, sociais ou regras de comportamento e de atitudes diante de determinadas situações da vida cotidiana.
Por ser nosso idioma rico em possibilidades e combinações, as pessoas talvez não tenham percebido ou valorizado o real significado deste termo e nem estejam necessariamente preocupadas ou interessadas em formar uma consciência coletiva a respeito de algum tema específico da sociedade ou da comunidade em que vivem e muito menos sobre outro indivíduo de pele negra.
Em sociedade, no coletivo, em público ou em reuniões de trabalho estes indivíduos brancos que se sentem donos do poder, revestem-se da máscara da Igualdade Social. Infelizmente isso é apenas da boca para fora e em momento específico, que precisam parecer generosos, magnânimos e desprendidos de preconceitos, estigmas e discriminação. Somente isso, nada mais e não se iludam, pois, quem é Negro sabe, no dia a dia, que tudo é diferente. Não existe igualdade. E os merecimentos estão atrelados a outros fatores que nada tem a ver com competência, conhecimento ou habilidade técnica.
Arrisco, aqui, um desafio, a partir de uma frase que está escrita em uma das paredes do campus de Rondonópolis da federal mato-grossense: - “Onde está o negro”. Há dias está frase tem me instigado. Já, havia percebido que, apesar das cotas raciais e de todos os esforços dos Movimentos Negros inserir o negro nos espaços acadêmicos de ensino superior, eles continuam quase inexistentes.
São raros, como também o são os professores negros e o pior de tudo: − Negros competentes com currículos acadêmico-científicos conceituadíssimos, pesquisadores inteligentes, íntegros e competentes sendo menosprezados e relegados simplesmente a sala de aula e somente as disciplinas de cursos de graduação.
É muito difícil o(a) negro(a) professor efetivo da UFMT (falo desta instituição por ser a qual trabalho) sendo requisitado para outras funções ou participações em cursos de pós-graduação e muito menos para gerenciar algum departamento, coordenação ou instituto, quem diria, para pró-reitoria ou reitoria. Neste ponto, orgulho-me de minha querida Salvador, Bahia, onde temos uma reitora negra em uma instituição pública de ensino superior.
Desafio lançado para quem quiser: realizar uma pesquisa científica para saber onde estão os negros do Campus de Rondonópolis da Universidade Federal de Mato Grosso. O que está acontecendo com as cotas raciais destinadas aos Negros? Por que em pleno século XXI preciso refletir sobre questões raciais em mundo de dimensões intercontinentais, com um quadro evolutivo em várias áreas das Ciências Exatas, Médicas, Cognitivas e Tecnológicas? Onde estão os negros de nosso Brasil varonil? Melhor ainda: Qual a situação dos negros brasileiros após 126 anos da Proclamação da Abolição da Escravatura?
Foi em busca de contribuir um pouco para o esclarecimento desta questão que me debrucei neste texto em uma tentativa de explicar este termo ou conduzir à luz de um maior entendimento da questão racial.
Aproprio-me ainda dos versos de Castro Alves para concluir meu raciocínio: “Por isso na impaciência /Desta sede de saber, /Como as aves do deserto -- /As almas buscam beber...”.
Vou além, acredito que na interjeição destes versos esteja também um desejo inconfesso de povoar a mente das pessoas e seu ambiente social, possibilitando o aprofundamento e maior visibilidade de questões tão cruciais para a formação humana e sedimentação de uma sociedade, de fato, democrática em todos os setores e que a igualdade racial não seja apenas “pano de fundo” para discursos inconsistentes de políticos e outras entidades que não se sintam integralmente comprometidos com as questões da desigualdade social, humana, cultural, educacional e informacional de uma nação, que, há séculos, convive com as diferenças e os estigmas que discriminam pessoas, grupos, culturas por causa da cor da pele ou dos cabelos enrolados e desobedientes à ação do vento e dos movimentos corporais.
É sabido que, a estratificação social influencia dramaticamente no processo de estigmatização de indivíduos, bem como, a hierarquia social afeta profundamente o grau no qual o individuo negro experimentará o estigma. Assim como, não podemos subtrair a historicidade que determina a discriminação e a opressão, efetivamente reduzindo as oportunidades e as expectativas de vida dos negros em virtude de uma Ideologia da Democracia Racial que proclama a invisibilidade social do negro.
O discurso predominante e enraizado da homogeneização humana está tão impregnado que até os próprios negros negam sua cor ou se revestem de uma mestiçagem e branqueamento para se sentirem integrantes desta sociedade dita democrática e igualitária.
É uma instigante discussão muito mais sobre a condição humana do que simplesmente raça, gênero e ideologias, por alguém que de fato e ainda marcada pelas lombadas da vida por sua cor de pele e condição social. Alguém que vive cotidianamente o preconceito, o estigma e a discriminação. E, assim sendo, preocupa-se com a formação humana e a capacidade de interpretação e argumentação de cidadãos capazes de pensar e gestar seu próprio destino. É isso: - Qual o papel do Negro nos espaços sociais, educacionais, empresariais, políticos etc.?
Fonte: EDILEUSA REGINA PENA DA SILVA - jornalista, relações públicas, mestre em Ciência da Informação, doutora em Ciências Sociais e professora Adjunto III da Universidade Federal de Mato Grosso. Mas, indiscutivelmente, Mulher e Negra. edileusapena@hotmail.com

Cantinho do Motociclista

O nosso cantinho! 
Praia Grande-SP


OPINIÃO DE PRIMEIRA

NO PAÍS DA CORRUPÇÃO, CADA ENXADADA É UMA MINHOCA...

Não é possível! Cada passo da polícia, cada ponta de tapete levantada, cada negócio feito, lá está ela, a corrupção. É inacreditável o que estamos vivendo. Ela existe há séculos, no Brasil sempre existiu, mas agora, ao que parece, toda a podridão irrompeu numa só vez. Começou com os mensaleiros, espalhou-se pelos dinheiros de campanhas, afundou-se no pior de todos, o escândalo da Petrobras, mas continua, todos os dias, surgindo novas sacanagens. Até na comida servida aos índios em Rondônia, onde a suspeita é de desvios de mais de 30 milhões de reais. Ora, se desviam alimentação de índios indefesos, o que não estarão fazendo em outros lugares menos vulneráveis? Já roubam a merenda escolar, já desviam recursos para maternidades e obras vitais para as comunidades e o que vão fazer agora? Desviar dinheiro das APAEs ou das associações que abrigam crianças deficientes? Claro que vão. Esses corruptos canalhas, sentados em cima de fortunas desviadas do dinheiro público, não tem pudores nem sentimentos, a não ser com eles mesmos e seus bolsos.
Por isso tem que se elogiar o trabalho independente, sério e vital para o País, do Ministério Público e da Polícia Federal. Ambos, muitas vezes à revelia dos seus chefes de plantão, saem às ruas à cata da bandidagem que assola o país, de norte a sul, de leste a oeste. As dezenas de prisões, incluindo gente que antes era intocável, é um claro sintoma de que estamos caminhando para uma nova era de combate à roubalheira. Temos que livrar nosso país dessas traças.  Faltam ainda leis mais rígidas para fazer com que corruptos e corruptores apodreçam na cadeia, mas essa mudança depende do Congresso Nacional. E alguma coisa que represente punição a ladrões do dinheiro público, vindo do nosso Congresso, certamente seria pedir demais...
 SUANDO FRIO - Os últimos dias foram de boatarias renovadas, principalmente envolvendo nomes de autoridades, que estariam enroladas no gigantesco escândalo da Petrobras, uma estrutura de corrupção que espalhou seus tentáculos por todos os cantos. Os temores foram maiores quando a Polícia Federal realizou uma operação em Porto Velho e mais três cidades do Estado, além de Humaitá. O alívio para quem andou suando frio é que a ação da PF nada tinha a ver com a Petrobras, mas com desvios de recursos na compra de alimentos para os índios. Não foi dessa vez, Mas...
 VAI FALTAR CADEIA - Por falar no escândalo da Petrobras, ele caminha célere para ser o maior entre todos já descobertos no Brasil, com dezenas de envolvidos. "Nunca na história desse país...", como diria o ex presidente Lula, algo tão grandioso, tão estrondoso, de tamanha roubalheira e  envolvendo  gente considerada acima  de  qualquer  suspeita  (além, é claro, de todos os malandros e corruptos que já se sabia quem são há muito tempo), foi registrado. Do jeito que as coisas andam, não vai ter presídio que chegue para todos. Lamentável!
 NA ALÇA DE MIRA - O caso de denúncias de abuso do poder econômico contra o vereador Léo Moraes, tornou-se temas das conversas políticas. Liderança emergente, Léo está sob a mira de muitos adversários. Por isso é importante que tanto o Ministério Público Eleitoral quanto a Justiça Eleitoral tenham o equilíbrio de sempre, para que não sejam cometidos, nesse episódios, os erros que envolveram o caso do vereador Edwilson Negreiros. Antes de tudo, o que os eleitores de Léo e seus admiradores esperam é que a Justiça prevaleça. O resto é decoração...
 LUZ SEM CUSTO - Importante para os rondonienses que querem continuar pagando a chamada Tarifa Social, nas contas de energia. Dos 74 mil consumidores que têm direito ao benefício, pelo menos a metade ainda precisa fazer novo cadastramento, para ter o direito mantido também em 2015. Os abatimentos têm vários percentuais, mas no caso de índios, quilombolas e outras minorias, a conta de luz pode até ser zerada. O período de recadastramento junto à Eletrobras Rondônia vai até 31 de dezembro.
 IRONIA DO DESTINO - Na grande enchente de Porto Velho, no início do ano, mesmo com o rio Madeira subindo mais de 15 metros, não aconteceu nenhuma morte. Grande parte da área ribeirinha da cidade e dos distritos ficou embaixo d´água, mas, destacou-se muitas vezes, nenhuma vítima fatal foi registrada. Pois nessa semana, numa enxurrada, quando choveu num só dia o previsto para seis, um jovem morreu afogado, após cair num açude. Ironias do destino e mais uma perda lamentável de uma vida.
 SURPRESA? - Por falar em chuva,  é com surpresa que se houve que a temporada de inverno chegou com temporais e muito mais água caindo do céu do que se previa. Ora, todo o ano é a mesma história, como se não soubéssemos que temos seis meses de sol forte e seis meses de chuva intensa e calor. O que não surpreende é a falta de ação do poder público, que praticamente nada fez para preparar a cidade para o inverno amazônico. Todos os anos repete-se a mesma história. Só o que não muda é a chuvarada e a Capital inundada.
 PERGUNTINHA - Até quando as cidades ficarão jogadas nas mãos dos bandidos, que apavoram comunidades inteiras, sem que haja reação à altura de parte das autoridades de todos os naipes?
Fonte: Jornalista Sérgio Pires


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

7º Aniversário dos Expedicionários da Amazônia - Saindo de Porto Velho

No último sábado (15) saímos as 5 horas da manhã daqui de Porto Velho para participar da festas do Expedicionários da Amazônia em Ji-Paraná (fotos já postada aqui no blog). Simplício, Linda, Bim, Romano e outros dois queridos amigos foram os companheiros de estrada desta vez. Com uma parada em Itapuã Do Oeste para um café e, registrar a foto do Lucas lá no posto.  Porém, no retorno o Cisne e o Bernardo foram os companheiros de estrada (eu disse de estrada...).Uma viagem tranquila e bem divertida, veja algumas fotos deste momento. 





CONVITE - 2º Aniversário Free Rider Moto Clube / Itajaí-SC

Vai ser muito legal! Vamos participar.


GATAS DA COPA (para não esquecer)





Lindas! Sempre enfeitando as Arenas (prefiro ainda falar em Estádios de Futebol, como nos velhos tempos).