sexta-feira, 31 de outubro de 2014

CONVITE - 2º MotoRock / Condor-RS e 2º Aniversário Free Rider Moto Clube - Itajaí-SC


Escolha um ou vá nos dois. Vai ser muito legal. Boa viagem!


O PRESENTE QUE EU QUERIA

A democracia é uma conquista de todos os dias, sujeita a possíveis deslizes e, por isso, deve ser dia a dia cuidada com a devida atenção. Não seria sequer de imaginar-se que , nos dias de hoje, seriam mundialmente reconhecidos como induvidosos os amazônicos escândalos do mensalão e do petrolão, e parece que eles podem expelir outros de porte semelhante.

A mim parede que os níveis corruptores chegaram ao máximo. Mas há outros que, parecendo menos grave, são assim recebidos; quando sua perniciosidade é intensa. Como é sabido, nos períodos eleitorais a lei assegura aos partidos o acesso aos meios de comunicação, o que foi e continua sendo de excepcional utilidade, uma vez eles são gratuitos.

Pois agora verifica-se a ocorrência de fenômenos, lamentável, sobe o ponto de vista ético, histórico e social dos partidos que, por esta ou aquela razão, com  o tempo a eles garantido, baixaram o nível do debate político. Por vezes, lembram marqueteiros os ocupantes de tempo destinado aos debates políticos. A agressão desmedida, pregando até a secessão regional e de classe, tornou o ambiente eleitoral quase irrespirável.

Gostaria de celebrar o processo eleitoral, que muito evoluiu, mas não seria honesto se calasse diante da explícita felonia praticada contra o estado de Direito. A ameaça à liberdade de imprensa e a existência de um decreto que visa instituir organismos para subtrair os poderes dos representantes legitimamente eleito estão diante dos nossos olhos (porém não aprovado pelos Deputados esta semana), disfarçados sobe o inocente nome de participação direta, que pode ser tudo, menos democracia.

Nas minhas nove décadas de caminhada, nunca perdi a fé e a esperança, e com os olhos nelas é que desejo aos vencedores das eleições que tenham bom sucesso e restaurem a paz e a harmonia entre os brasileiros, sempre necessárias, fortalecendo a democracia.

Fonte: Paulo Brossard - Jurista, Ministro aposentado do STF

Lá no posto Ipiranga - domingo

Com uma rápida passagem la no posto Ipiranga neste último domingo (26) encontramos os amigos que estão na referida foto abaixo. Valeu a presença de todos. Veja a foto.


Resenha Política

Encrencado - O recém-eleito deputado federal Lindomar Garçon (PMDB) nem conseguiu comemorar direito a vitória nas urnas e foi surpreendido com uma derrota na justiça. O parlamentar foi condenado por improbidade pela Justiça Federal por envolvimento naquele indecoroso caso dos “Sanguessugas” (escândalo em que parlamentares federais colocavam emendas no orçamento dirigidas a uma empresa que vendiam ambulâncias superfaturadas e usadas).
 Cassação - A condenação impôs a Garçon à perda das funções públicas. Embora caiba recurso, a situação do parlamentar complica porque ao assumir a Câmara Federal o caso vai ao STF e nessa instância a vida de parlamentares encalacrados não tem sido fácil. E os julgamentos, remetidos para as turmas, têm sido relativamente mais rápidos. Garçon pode perder pela segunda vez consecutiva o mandato em pleno gozo das funções.
 Rolo - Para ter uma ideia do rolo em que está Garçon, após a condenação, passadas as eleições, os deputados federais voltaram a se preocupar com seus problemas na Justiça. Ontem uma comitiva de deputados foi ao STF tentar convencer os ministros a devolver a competência penal ao Plenário do Supremo Tribunal Federal e evitar que sejam sumariamente julgados nas turmas. Treze líderes partidários na Câmara dos Deputados se reuniram com o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski para demonstrar preocupação com o fato de, em um colegiado de cinco ministros, três terem o poder de condenar criminalmente um deputado e fazê-lo perder o mandato.
 Degola - Ao que tudo indica a comitiva de deputados federais saiu da reunião no STF com a mesma preocupação com que entrou. Portanto, Lindomar Garçon, além de uma dezena de outros parlamentares, está enrolado. O suplente dele pode começar a encomendar a fatiota porque é questão de tempo a degola. Esse caso ainda vai alcançar o deputado Nilton Capixaba (PTB), que, segundo investigações, seria supostamente um dos mentores da sangria no orçamento em favor da empresa de Mato Grosso que fornecia as ambulâncias a prefeitos igualmente encalacrados com os malfeitos.
 O corvo - Para piorar a situação de Garçon e Capixaba, Amir Lando é o segundo suplente nesta mesma coligação em que os dois saíram vencedores e, por duas vezes, quando suplente, assumiu ao cargo em situações em que os titulares foram defenestrados por fatos macabros: a primeira com a morte de Olavo Pires e, a segunda, com a prisão de Donadon. Nessa última também era segundo suplente e virou primeiro exatamente depois que Lindomar Garçon perdeu o mandato. Reza a lenda que tê-lo (Lando) no encalço não é nada auspicioso.
 Assepsia - A higienização feita pelo eleitor no Poder Legislativo não foi completa embora tenha sido boa. Quem acompanha os bastidores judiciais tem a real dimensão do que espera boa parte da turma barrada nas urnas que usou e abusou no exercício do cargo. A coluna conseguiu acessar inquéritos que dará boas enxaquecas à trupe por um longo tempo.
Impeachment - É quase uma unanimidade que o prefeito de Porto Velho é incapaz de resolver os problemas mais comezinhos do municípios. A exemplo do lixo e dos buracos. Estamos encaminhando para o terceiro ano de mandato sem que Mauro Nazif possa apontar uma única e miserável obra de sua administração. Chegamos também a mais um período de inverno que anuncia ser rigoroso sem que as ações para conter as enchentes nos bairros tenham sido adotadas para minimizar o infortúnio das pessoas que neles residem.
 Impeachment II - Os motivos são fartos para que Mauro seja defenestrado no cargo e abundam a cada estação, mas numa democracia onde impera a lei qualquer ação de força necessita seguir as garantias constitucionais. Portanto, o impeachment na marra proposto pelos zelos vereadores somente fortalece um prefeito capenga e incompetente. O erro dos vereadores deu a Nazif uma sobrevida para se mantenha no cargo sem a ameaça de ser afastado imediatamente. Enquanto a edilidade não cumprir com correção suas funções o melhor é deixar que a defenestração seja feita pelo eleitor. Embora não seja fácil aguentar Mauro Nazif por mais dois anos conduzindo o paço municipal. No entanto, impeachment sem seguir a liturgia jurídica é transforma-lo em vítima da própria inoperância. Tudo o que rezava pra acontecer.
 Interfaces - Os desafetos do Mauro Nazif quando tiram sarro dele gostam de dizer que administrar não é o forte do prefeito. E ilustram as atividades privadas no ramo da medicina com exemplo de atuação mal sucedida. Todavia, não seria diferente o Mauro em administrar a coisa pública. Verdade ou exagero há uma distância incomensurável entre o Mauro Nazif parlamentar do Mauro Nazif executivo. Caso um pudesse conviver simultaneamente com o outro, o primeiro pediria a cassação do segundo. Uma renúncia seria uma saída digna, diria o ex-deputado Nazif. Mas ambos preferiram o silêncio e resolver a crise nas coxias.
 Espalhafato - Ano passado o prefeito da capital fez o maior salseiro na imprensa anunciando que a cidade iria virar um canteiro de obras com a aquisição de uma centenas de máquinas pesadas. O anúncio não passou de mais uma extravagante enganação publicitária. Ou as máquinas não existem ou estão paradas em algum pátio da prefeitura de Porto Velho prontas para serem utilizadas apenas no ano eleitoral. Aliás, método enganoso que surtiu efeito em eleições recentes.   
 Reprise - Revigorado nas urnas que lhes concederam eleger o maior número de governadores e congressistas, o PMDB não aguardou uma semana de trégua para colocar a faca afiada na garganta do governo e começar a cobrar as faturas futuras. Os sinais emitidos pelos peemedebistas indicam que os petistas e a presidente não terão sossego no segundo mandato. É o toma-la-da-cá em pleno vigor. Com a chancela das urnas. Esse filme é velho, reprisado no tempo, não tem mocinho e com final inexoravelmente conhecido.
 Pergunta - Um leitor enviou uma mensagem eletrônica perguntando em nossa opinião o que faltou e qual principal motivo que impôs ao tucano e carismático Expedito Junior a perder pela segunda vez as eleições ao Governo de Rondônia? Resposta da coluna: faltaram os votos suficientes e necessários para vencer o adversário. O resto é conversa mole e fiada de palpiteiro da ponta de esquina que repete as mesmas tolices depois que o resultado é conhecido.
Fonte: Jornalista Robson  Oliveira

MANJAR DOS DEUSES


Super sensual !...


CONVITE - Piratas do Caribe / Caraguatatuba-SP e 5º Almoço de Confraternização do Cachorro Loco Moto Clube / Assis-SP



Vamos participar.  Escolha, e boa viagem!


CONSUMIDOR - Região Norte do país terá reajuste na tarifa de luz de até 54,06%

Entre os fatores que colaboraram para os reajustes, conforme a Aneel, estão os custos com compra de energia, transmissão e pagamento de encargos setoriais

Os consumidores de energia elétrica do interior de Roraima, estado onde a presidente Dilma Rousseff recebeu menos votos do que Aécio Neves, terão um reajuste de energia de 54,06% a partir de 1º de novembro. Na quarta-feira (29/10), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou três aumentos nas contas de luz em distribuidores que atendem o Norte do país.

Além da Companhia de Roraima, que atende 40 mil unidades consumidoras em 15 municípios, e foi autorizado a praticar o maior reajuste concedido este ano, de mais de 50%, a Aneel também aprovou o aumento médio de 16,95% das tarifas da Boa Vista Energia, do grupo Eletrobras, que abastece a capital de Roraima.

As tarifas do Amazonas Energia, também da Eletrobras , terão reajuste médio de 18,62% a partir do próximo sábado. Para os clientes que recebem energia em alta tensão, como as industrias, o reajuste será de 22,63%, enquanto para os de baixa tensão, como residências, o aumento será de 15,83%.

A companhia leva energia a cerca de 700 mil unidades de consumo no Amazonas. Entre os fatores que colaboraram pra os reajustes, conforme a Aneel, estão os custo com compra de energia, transmissão e pagamentos de encargos setoriais.

Fonte: Correio Brasilense 


Conta de luz em Rondônia ficará mais cara

As contas de luz terão alta anual regular, em percentuais elevados, e repiques mensais.


O baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas trará reajustes crescentes da energia em todo o país.

As contas de luz terão alta anual regular, em percentuais elevados, e repiques mensais em virtude da geração mais cara.

Isso porque, a partir de janeiro, o consumidor também vai sentir no bolso o sistema de bandeiras tarifárias, cobrando no mês seguinte aos gastos extras com usinas térmicas.

Uma amostra dessa tendência chegará ao próximo sábado (1º) para os clientes da Região Norte. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou ontem a Companhia Energética de Roraima (CERR) a realizar o maior aumento deste ano entre todas distribuidoras: 54,06%.

O reajuste afetará 40 mil unidades consumidoras de 15 municípios do interior. Naquele estado, a presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu a eleição para o adversário Aécio Neves (PSDB), que recebeu 59% dos votos válidos.

A Aneel também aprovou ontem aumento médio de 16,95%das tarifas da Boa Vista Energia, do grupo Eletrobrás. O reajuste será aplicado a partir de novembro para 101 mil consumidores da capital.

Para a classe residencial, o aumento será de 17,04% e, para as indústrias, de 16,78%. As tarifas da Amazonas Energia, também controlada pela estatal federal, terão reajuste médio de 18,62%. Para os clientes industriais, o aumento será de 22,63%, enquanto para as residências e o comércio será de 15,83%.

A companhia atende 700 mil unidades de consumo. A Aneel ainda precisa deliberar os reajustes de cinco distribuidoras: Light (RJ), Companhia de Eletricidade do Amapá, Centrais Elétricas de Rondônia, Companhia de Eletricidade do Acre e Companhia Sul Sergipana de Eletricidade. O pleito da Light, a ser avaliado na próxima semana, é de um reajuste de 25,04%.

Na reunião de ontem (29), a diretoria da agência também aprovou a versão final do edital do leilão de energia A-5, que será realizado em 28 de novembro. A principal mudança foi a inclusão de três projetos de novas hidrelétricas: Itaocara I, de 150 megawatts (MW), no Rio de Janeiro, e dois projetos no Paraná: Apertados (139 MW) e Ercilândia (87 MW). O preço-teto para Itaocara I foi fixado em R$ 114 por MWh; o de Ercilândia em R$ 137 e o de Apertados em R$ 152. A entrega da energia contratada deve ocorrer em 2019.

Fonte:Texto: R7