terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Cunha x Chinaglia, e o petrolão na Câmara

O caminho do Poder na Câmara passou por Minas Gerais nos últimos dias.
Candidato do Palácio do Planalto à Presidência da Câmara dos Deputados, o petista Arlindo Chinaglia (SP), que já ocupou o cargo, almoçou ontem com bancada suprapartidária de 15 parlamentares em Belo Horizonte. Repetiu assim o roteiro feito pelo rival Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que passou pela capital mineira na quinta e sexta-feira em encontros similares. Ambos foram pedir bênçãos da forte – e esquecida pelo governo federal – bancada de Minas Gerais para a disputa do dia 1º de fevereiro.
Mais que a rota traçada pelos adversários, a polaridade Cunha x Chinaglia traz à tona uma disputa até então velada ano passado: a ala independente do ‘aliado’ PMDB, junto à oposição, versus PT e a base governista.
Corre por fora o mineiro Júlio Delgado (PSB), como terceira via, e apoiado por descontentes não ligados a Cunha e Chinaglia, ou ao grupo oposição x governo (não se pode desconsiderar Delgado. Todos se lembram no que deu essa disputa de base x oposição de poucos anos atrás que trouxe da noite para o dia, do submundo da Câmara, a figura de Severino Cavalcanti sentado na principal cadeira da Casa. Obviamente, cenários e personagens não se repetem; Delgado não tem qualquer similaridade com o perfil do ex-deputado pernambucano apeado do cargo).
Cunha mostrou poder na quinta e sexta, em jantar e almoço, paparicado também por base suprapartidária. Mas Chinaglia, mais prestígio ainda, e mostrou ontem que surge como forte adversário do deputado carioca que já se gabava da eleição fácil. Ninguém menos que o governador Fernando Pimentel deixou o gabinete e juntou-se ao séquito num restaurante de BH para ouvir as propostas de Chinaglia.
No pano de fundo, não apenas tornou-se uma disputa entre oposição & ala da base descontente x base governista, mas em especial o debate norteia os rumos de como a Casa vai tratar o Petrolão.
A lista de parlamentares propinados do doleiro Alberto Youssef será revelada em breve pela PGR, e sabe-se que muitos são os envolvidos na Câmara, inclusive os com mandato renovado. Cunha propôs uma versão 2.0 da CPI do Petrolão especial na Casa, e já fala no linha-dura Jair Bolsonaro (PP-RJ) como relator. A turma aplaudiu.
Ontem, Chinaglia disse que não tem medo de CPI, mas deixou entrelinhas que atuará junto com o Planalto para barrar a investigação, ou controlá-la, para que o óleo sujo a propina jogado na Casa não escorra para o piso do terceiro andar do Palácio do Planalto do outro lado da avenida.
Enfim, Cunha x Chinaglia tornou-se também uma disputa de prós e contra a CPI do Petrolão e suas consequências.
Fonte: Coluna Esplanada - Brasília/DF


OPINIÃO DE PRIMEIRA

SÓ UMA GRANDE ZEBRA TIRA A PRESIDÊNCIA DE MAURÃO

Caso não aconteça daquelas histórias que já se viu no passado (dessa vez, ao que se encaminha, não vai acontecer), o deputado Maurão de Carvalho deve ser eleito, neste próximo domingo, presidente da Assembleia Legislativa. Há ainda um ou outro movimento, mas mesmo entre os poucos opositores do governo, que prefeririam um nome mais pesado da oposição a Confúcio Moura, o nome de Maurão tem sido recebido com deferência. Ele é um parlamentar que circula em todos os meios. Entra em qualquer um dos gabinetes dos seus companheiros de parlamento, conversa com franqueza, com seu jeitão simples, mas que o levou ao quinto mandato como deputado e vai conquistando parceiros e votos para sua pretensão. Paranaense da cidade de Turneiras, lá no interior, Maurão veio para Rondônia e está fazendo história, como tantos outros migrantes que conquistaram seu espaço nessa terra abençoada. Foi prefeito de Ministro Andreazza, eleito em 1992 e, de lá, saltou para a Assembleia. Desde que chegou nela,  em 98, só teve vitórias nas urnas. Só perdeu, no ano passado, a disputa interna do seu partido, o PP, que optou por indicar Jaqueline Cassol na disputa pelo governo.
Quarto deputado mais votado em Rondônia (fez 16.249 votos), Maurão teria até o apoio do Palácio Presidente Vargas, de onde ainda despacha o governador Confúcio Moura. Ele compartilhou a preferência dos eleitores rondonienses com de Adelino Folador (19.151 votos); Glaucione Rodrigues (18.121) e Lebrão (16.373). Foi esse o quarto mais votado em outubro passado. Ao que tudo indica, mesmo Folador, que deve fazer oposição na Assembleia, estaria disposto a ir com Maurão no comando da Mesa Diretora. Os outros dois já teriam fechado com o provável futuro presidente. Se não der zebra, Maurão, enfim, vai comandar a ALE nos próximos anos...
 ATUA NOS BASTIDORES - Enquanto não se define a eleição para a Mesa Diretora (em que o governo do Estado está atuando nos bastidores, ativamente, mesmo com todos os desmentidos), a equipe de Confúcio Moura, para o segundo mandato, não será completada. As negociações políticas envolvem cargos - mais de segundo escalão, mas há casos em que até secretarias estão em disputa - e o governador não quer correr o risco de ficar com minoria na Assembleia. Ou enfrentar o que enfrentou na atual legislatura. Portanto, antes da próxima semana, a equipe de Confúcio continuará incompleta....
 GRANA NO BOLSO - Para o funcionalismo, o ano começou bem. O Governo pagou a folha de janeiro. Somando-se salários e obrigações sociais, a grana que entrou no bolso dos milhares que vivem do contra cheque, superou os 230 milhões de reais. Para se ter ideia, a folha líquida fica em 142 milhões. Os outros 88 milhões de reais (ou seja, 38 por cento do total bruto), são para impostos e obrigações. Se essa grana revertesse em melhores salários para os servidores, imagine-se o que eles poderiam comemorar!!!
 PRIMEIRO A FAMÍLIA! - Políticos cometendo asneiras e ações ridículas, contra os interesses de quem os elegeu, já nem é notícia. Mas há ainda situações que são tão estrondosas que merecem registro. É o caso da deputado estadual (não reeleita, felizmente), Marisa Formolo, do RS, um estado que já teve grandes lideranças nacionais e é considerado um dos mais politizados. Pois antes de deixar sua cadeira, dona Marisa distribuiu nada menos do que 21 títulos e homenagens a...pessoas da sua família. Todos. Não dá vontade de chorar, com gente assim nos representando?
 PALPITES E DESINFORMAÇÃO - O medo volta a rondar os ribeirinhos e os prédios públicos próximos ao rio Madeira. Mas não é só em Porto Velho que o risco de nova enchente preocupa, ainda mais pela sucessão de boataria e informações desencontradas. Também na região de Guajará, o temor é concreto. A maioria das opiniões e palpites são de que a cheia de 2014 se repetirá, com todos os seus efeitos danosos. Uma minoria - incluindo técnicos do Sipam - dizem que vai haver enchente, mas bem menos destruidora. Quem vai acertar?
 ENFIM, A CURA... - Pelo menos 120 pessoas - a maioria da Capital, mas muitas também do interior - estão contando os dias para serem operadas. É que, até março, mais um daqueles mutirões de cirurgias será promovido pela Secretaria de Saúde, em parceria com o Instituto de Traumatologia e Ortopedia, o Into, do Rio de Janeiro. Dezenas de pacientes já fizeram os exames preliminares e estão aptos para serem operados. Alguns esperam há longo tempo. Há pelo menos um caso de espera de dois anos...
 FIM DE FESTA? - A poucos dias do carnaval, o que se observa é que o poder público se afasta cada vez mais da festa popular, o que não deixa de ser um bom indício. Carnaval é festa e festa que pode ter patrocinadores de peso, da iniciativa privada. Quando menos dinheiro público, melhor. Três prefeituras do Estado já cancelaram a festa: Ariquemes, Rolim de Moura e Vilhena. Há indícios de que outras seguirão o mesmo caminho. O pessoal do carnaval tem que se mobilizar para bater nas portas das empresas. Porque a grana dos cofrdes públicos estão cada vez mais rara!
 PERGUNTINHA - Fantasias de vítimas da violência ou de mendigos, representando os pagadores de impostos do país: qual a melhor fantasia do brasileiro para este carnaval?
Fonte: Jornalista Sérgio Pires

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Born To Ride Brasil - BTR

Queridos Amigos do Born To Ride Brasil - BTR, uma singela homenagem do Blog do Chaddad. Muitas viagens, boas amizades, alegria constante !


Presidente Médici / RO - Cacoal / RO - Nova Brasilândia / RO - Gaspar / SC - Dourados - MS




A Arte da Prudência

Nunca partilhar segredos com superiores.

Pensará partilhar peras, mas partilhará pedras. Muitos pereceram por serem confidentes. Eram como as colheres feitas de casca de pão, e se expuseram ao mesmos risco. Ouvir as confidências de um príncipe não é um privilégio, mas um fardo. Muitos quebram o espelho que os lembra de sua feiura. Não suportam ver aqueles que os vêem. Você não será bem visto se viu algo ruim. Que ninguém nos deva muita obrigação, em especial os poderosos. Mas, se assim for, que seja mais por benefícios que lhes proporcionamos do que por favores que nos fizeram. As confidências aos amigos são as mais perigosas de todas. Quem revela seus segredos a outro torna-se escravo dele, e tal constrangimento um soberano não suporta por muito tempo. Para recuperar a liberdade perdida, passará por cima de tudo, até da razão. Segredos, pois, nem os ouça, nem os revele.

Fonte: Do Livro -  A Arte da Prudência / Baltasar Gracián


Bate e Volta a Itapuã Do Oeste/RO

Mais um bate e volta realizado pelos Amigos, Simplício, Orlando, Machado, Antônio e outros queridos amigos que infelizmente esqueci o nome. Mas de qualquer modo ai está a foto para comprovar a presença de todos. Esta foto foi registrada em Candeias,  pois não participei do bate e volta, porém encontrei os queridos Amigos lá no posto de gasolina. Neste domingo eu estava em companhia do meu filho Anis. Valeu o registro, valeu o encontro. Veja as fotos




JERRY LEE LEWIS LEILOA HARLEY

O polêmico astro do Rock´n´Roll nas décadas de 50 e 60, Jerry Lee Lewis, vendeu sua moto Harley-Davidson FLH 1959 por US$ 385 mil, na noite do último sábado (24/01), durante um leilão na Flórida (USA). O músico ganhou a moto da própria Harley-Davidson no auge da fama. A montadora também presenteou outros diversos artistas com seus modelos. Lewis, entretanto, não é exatamente um entusiasta das motocicletas. Seu presente foi vendido com somente 2.257 milhas ou 3.632 quilômetros rodados.

Leilões famosos - Motos de famosos chamam a atenção de colecionadores e costumam renderem e, leilões. Em outubro do ano passado, a moto Capitão América, de 1969, utilizada por Peter Fonda no filme Easy Rider (Sem Destino), foi arrematada em leilão por US$ 1,35 milhão. Ainda não ano passado, a Husqvarna 1971 do ator Steve McQueen foi vendida também em leilão por US$ 144,5 mil.


Fonte: Moto movimento

Divórcio e saúde emocional dos filhos

É inegável que a separação é um momento de crise, de mudança que abala a dinâmica emocional de todos os envolvidos. A separação gera angústias e incertezas, principalmente nos filhos que perdem, nesse instante, a sua principal referência e alicerce que são os pais. E esses ficam consumidos pelas dúvidas, de contar aos filhos, como dividir os bens, como estabelecer o sistema de visitas, como apresentar-se em público sozinho, a incerteza de ser capaz de ficar só, pelo menos durante um tempo.

As atribuições dos pais, ainda que separados, permanecem. O compromisso com os filhos permanece. A responsabilidade de todos pela qualidade da relação afetiva, mesmo que proporcional às idades, funções e hierarquias dos membros, permanece. O que se desfaz é o casal. São freqüentes os casos em que após a separação um dos genitores abandona o filho. A relação conjugal pode ser finita, mas a filial nunca acaba. Tradicionalmente, são as mães que ficam com a guarda do filho e comumente os pais são os que se afastam. 

Sabe-se da grande importância da presença do pai na vida do filho
O direito de convivência não é assegurado somente ao pai ou à mãe, é direito do próprio filho de com eles conviver, o que reforça os vínculos paterno e materno-filial. É direito de a criança manter contato com o genitor com o qual não convive cotidianamente, havendo o dever do pai de concretizar este direito.

O dano psíquico causado pelo abandono paterno é sujeito à indenização. Ainda que a falta de afetividade não seja indenizável, o reconhecimento do dano psicológico deve servir, no mínimo, para gerar o comprometimento do pai com o pleno e sadio desenvolvimento do filho. Não se trata de impor um valor ao amor, mas reconhecer que o afeto é um bem que tem valor.

Fica claro que os vínculos afetivos não devem ser rompidos, pois isto implicaria em um sofrimento maior para a criança ou o adolescente. Quando um casal se desfaz, vêm à tona as figuras maternas e paternas, pois se há um filho, é o papel parental que permanece. Mesmo separados, o pai e a mãe deverão exercer seus deveres e responsabilidades com o filho. 

Sabe-se que o divórcio é uma espécie de ruptura no sistema familiar, trazendo uma série de mudanças na estrutura e nos relacionamentos, tanto para o casal quanto para os filhos. Quando um divórcio acontece, pressupõe-se que já se esgotaram todas as possibilidades de convivência. Os conflitos não puderam ser resolvidos e as crianças, por menores que sejam, percebem o nível de tensão emocional entre os pais.
A separação exige uma mudança na maneira de funcionamento das famílias, provocando uma nova definição da vida familiar. Esse período é extremamente delicado e torna-se primordial um tempo considerável de reorganização.

Os pais precisam compreender que o término do vínculo a dois, apesar de ser difícil e delicado no começo, pode ser a garantia da qualidade das relações de convivência entre os familiares. Para isso, é importante dedicar o máximo de tempo às crianças durante o processo. Quanto melhor o casal souber lidar com suas diferenças e quanto mais seguros estiverem sobre suas decisões, estarão mais preparados para lidar com confiança nas questões dos filhos.

No momento da separação, é freqüente a dúvida dos pais em relação à atitude que devem tomar: contar ou não contar a verdade às crianças. A verdade é sempre o melhor caminho, é libertadora. Ela dá segurança, apóia e sustenta mesmo em um momento difícil como este.

 Conversar é o melhor remédio. São preciosos para os filhos todo o tempo e atenção que puderem ser dispensados a eles, com conversas francas e as explicações necessárias sobre tudo o que está acontecendo. É comum que as crianças tenham, nesses momentos, a sensação de perda e fiquem fragilizadas com a situação, devido à ausência de um dos pais em casa. Portanto, é necessário aumentar o nível de exigência da atenção de quem fica.

Independente do estágio em que ocorre o divórcio, se os filhos são bebês ou um pouco maiores, a mãe e o pai precisam ter e deixarem claro, sempre, que são os responsáveis pelos pequenos, ou seja, o papel dos pais não muda em nada com a separação.
É importante que os pais não fiquem disputando a preferência dos filhos, isso irá fazer com que eles os façam de reféns emocionais, o que impede que lhe dêem uma boa educação, pois educar é também impor limites.

Pensamento

Ao adotar a vida de valores e princípios das organizações, o indivíduo se afasta de si mesmo. Agir da forma que a sociedade espera é deixar de lado a autenticidade da existência. É não viver, é apenas existir. O ontem não mais volta. O amanhã desconhecemos, viva o hoje e o faça da melhor maneira que o torne feliz. -Carpe Diem.
Fonte: SERAFIM GODINHO - Autor: SERAFIM GODINHO - Rondoniaagora.com

MINUTOS DE SABEDORIA

NÃO permaneça preso ao passado nem a recordações tristes.
Não remexa uma ferida que esta cicatrizada.
Não revolva dores e sofrimentos antigos.
O que passou, passou!
Deste momento em diante procure construir uma vida nova, na direção do alto, caminhando para frente, sem olhar para  trás.
Faça como o sol que se ergue a cada novo dia, sem lembrar-se da noite que passou.