quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Nenhum carro criou laços tão pessoais com seus donos e foi tão humanizado no imaginário mundial quanto o Fusca

Volkswagen... Poucas vezes um nome representou um produto com tanta clareza, honestidade e profecia. A palavra alemã significa carro do povo — seja povo no sentido de população ou no de classe trabalhadora. Se foi para o povo alemão que ele foi criado, foram os povos de vários países que o consagraram como um dos projetos mais bem-sucedidos — em termos tecnológicos, comerciais e culturais — da indústria automobilística mundial no século 20. Dentre esses, nenhum alcançou a popularidade e o carisma daquele automóvel alemão com perfil de besouro.

Não se explica o êxito do Fusca em poucas palavras. E, ainda assim, todos parecem compreender que ele não poderia ter alcançado outra trajetória. Ainda hoje é controverso o cenário e o contexto em que nasceu o projeto. A Alemanha perdera a Primeira Guerra Mundial em 1918. Não havia emprego, o dinheiro valia praticamente nada na hora de comprar alimentos, a aquisição de um carro era um sonho distante para a grande maioria dos alemães. A indústria automobilística do país em que o automóvel nasceu enfrentava uma iminente falência com a crise mundial, desencadeada pela queda da Bolsa de Nova York em 1929.

A idéia do carro de baixo custo para motorizar o país já existia até antes disso. Em 1904 a Bergmann Company havia produzido um exemplar do Volksauto. Discorria-se sobre a necessidade de um veículo nesses moldes, e o conceito era tratado como Kleinauto ou Kleinwagen (carro pequeno), Jedermansauto (carro para cada um) e até Volkswagen. Foi este último nome que ganhou mais força. O desafio de criar um carro popular ganhou novo impulso nos anos 20, quando o veículo mais utilizado na Alemanha era a motocicleta.

Os alemães eram os líderes mundiais em veículos de duas rodas, com marcas como Zündapp, BMW, DKW e NSU. Ainda assim, o país era um dos menos motorizados da Europa. Se havia um carro para cada 100 alemães, a proporção na França era de um para 28 habitantes e nos Estados Unidos já era de um para seis, mérito que deve muito ao Ford Modelo T e à produção em massa estabelecida por seu criador, Henry Ford.

Embora carros ainda fossem artigos de luxo na Alemanha, a tradição da engenharia do país onde o automóvel nasceu era inegável. Entre os profissionais mais destacados dessa área estava o engenheiro de origem austríaca Ferdinand Porsche (leia boxe). Na década de 1920 ele já tentara desenvolver um pequeno automóvel na Mercedes-Benz, mas sua idéia não foi bem recebida. Em 1931, Porsche fundou sua empresa de engenharia em Stuttgart e um dos primeiros projetos foi o de um automóvel desenvolvido desde o princípio como um modelo pequeno, não um carro maior encolhido. Era o Typ (tipo em alemão) 12.

O preço de uma oportunidade O projeto Typ 12 foi levado à Zündapp e surgiram três protótipos, mas o fabricante de motocicletas logo o abandonou. Porsche então levou proposta equivalente à NSU, o Typ 32 ou Volksauto. Outros três protótipos nasceram dessa associação, até que também a NSU desistiu de ter um compacto criado por Porsche, em 1933. Pouco depois, um compromisso em Berlim mudaria os rumos de Porsche e seu sonho de criar um carro popular alemão. Ao sair do encontro, ele teria o mais forte incentivo que poderia conseguir para deslanchar seu projeto no país. Era uma audiência com o recém-eleito chanceler Adolf Hitler.

O líder do terceiro Reich queria criar o carro do povo alemão e a idéia de Porsche vinha ao encontro desse propósito. Por outro lado, Hitler trouxe também uma grande limitação: o preço. O carro deveria custar menos de mil marcos imperiais, além de ter espaço para quatro passageiros, capacidade de viajar à velocidade constante de 100 km/h, vencer rampas de até 30% e rodar 14 km/l de combustível em média. Mesmo a contragosto pela questão do objetivo de preço, Porsche se viu obrigado a aceitar.

Com o contrato assinado em 1934, o engenheiro investiu em equipamentos que produziriam os primeiros protótipos. O verdadeiro desafio seria alcançar as metas estabelecidas pelo governo no prazo estipulado. Não houve jeito: o tempo previsto acabou se revelando bem aquém do que Porsche precisava. Motores a dois e quatro tempos e com dois, três e quatro cilindros foram avaliados, mas vingou a última opção, em disposição contraposta (boxer) e refrigerada a ar. A carroceria já seguia os padrões arredondados e suaves da tendência de busca pela aerodinâmica, nascida naquela época

Fonte: Automóvel Clube do Brasil



AMO FUSCA!


CONVITE - Rio Preto Bike Week / São José do Rio Preto-SP

O convite está feito. Vamos participar!


PROFESSOR - Salário pode ter adicional de 60%

Professores da educação básica podem passar a receber adicional de 60% para trabalhar em regime de dedicação exclusiva, com carga horária de 40 horas semanais. A medida consta da Proposta de Emenda à Constituição do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), que aguarda designação do relator na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O objetivo é convencer os profissionais da educação básica a se dedicar a um único cargo, o que evitaria o excesso de trabalho e melhoria o rendimento em sala de aula.

Hoje, devido ao baixo salário da categoria que recebe em média R$ 2,5 mil, esses profissionais acumulam cargos e acabam se desgastando. Delcídio propõe que o custo do adicional fique a cargo da União, reconhecendo que Estados e municípios não teriam condições financeiras de suportar o gasto.

O senador calcula que a despesa anual com o adicional seria de R$ 39,9 bilhões, o que corresponde a menos de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), que mede a soma das riquezas produzidos no País.
Fonte: Agência Estado.

MANJAR DOS DEUSES


Fala a verdade: É ou não é duas "maravilhas!"


A partir de novembro, multas ficam até 10 vezes mais caras


N/A
Motoristas devem ficar atentos com mudanças
Os motoristas que costumam abusar  estão com os dias contados, pelo menos no que depender das mudanças no Código Brasileiro de Trânsito, que muda a partir de novembro. Com as alterações, vão aumentar o risco de prisão e o valor das multas para os infratores.

Essa lei federal, que alterou 11 artigos do Código, faz parte do pacote de mudanças legislativas propostas pela Polícia Rodoviária Federal para diminuir as mortes no trânsito em 50% até 2020.

E, na prática, isso quer dizer que algumas multas ficam até dez vezes mais caras, como as infrações por ultrapassar na faixa contínua em pontes, viadutos ou pela direita, usando o acostamento. Elas vão passar dos atuais R$ 191,00  para R$ 957,00.

Já a chamada ultrapassagem forçada é a que mais vai pesar no bolso do motorista irresponsável. O valor será de R$ 1.915,00.

A legislação também ficará mais rigorosa para os crimes de trânsito. Hoje, quem é flagrado dirigindo embriagado e machucar ou matar alguém cumpre pena em regime aberto ou semi-aberto. Com a nova lei, esse motorista que bebeu pode cumprir pena sem deixar a prisão.

Também vai ser preso quem beber, fizer racha e ferir alguém: pena de três a seis anos. Quem participa de rachas hoje paga R$ 575,00. Já a partir de novembro, a multa passará para R$ 1.915,00.

Segundo o especialista em transporte Érico Almeida, essas mudanças traçam uma nova perspectiva para o trânsito brasileiro, já que o motorista deve começar a respeitar de verdade as regras de trânsito.

“Se as multas vão ficar mais caras e a punição mais rigorosa, certamente haverá uma mudança de pensamento. O brasileiro só leva a sério quando sente uma punição no próprio bolso”. Para ele, infelizmente, as pessoas ainda acreditam que é natural beber e dirigir. Mas, com o endurecimento da penalidade, isso deve reduzir um pouco.

“Isso não vai acontecer pelo motivo certo, que é o medo de matar alguém, mas pelo menos as atitudes arriscadas no trânsito serão evitadas porque o motorista tem receio de ser preso ou de pagar uma multa caríssima”.

Confira as mudanças:

Nas infrações de trânsito

Rachas, competições e exibições não autorizadas

A primeira grande alteração refere-se a corridas e competições não autorizadas pela autoridade de trânsito competente. Essas condutas entram nos artigos 173, 174 e 175 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Os condutores que forem flagrados praticando alguma das atividades citadas ou, ainda, usando veículo para demonstrar ou exibir manobra perigosa, mediante arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus, estarão sujeitos à penalidade de multa de R$ 1.915,00, suspensão do direito de dirigir e apreensão do automóvel.

Ultrapassagens

A outra grande alteração trata das ultrapassagens, que causam inúmeros acidentes fatais. O legislador igualou as infrações referentes a ultrapassagens indevidas realizadas pela contramão e pelo acostamento. Agora, ambas são gravíssimas e deverá ter o valor multiplicado por cinco, o que quer dizer que a multa será de R$ 957,70.

Já o condutor que forçar passagem entre veículos, mesmo que em local permitido, a infração deverá ser multiplicada por dez, passando a multa a ser R$ 1.915,40.
Em caso de reincidência nos 12 meses seguintes, a multa será aplicada em dobro, chegando ao valor de R$ 3.830,80.

Nos crimes de trânsito

Homicídio Culposo (sem intenção de matar) na direção de veículo automotor
Mudança na pena de detenção, de dois a quatro anos para reclusão, nos casos em que o agente conduz veículo automotor alcoolizado ou drogado. Também vale para quem participa de corrida ou competição automobilística, exibição ou demonstração de manobra não autorizada pela autoridade competente.

Rachas, competições e exibições não autorizadas
O art. 308 do CTB foi o que teve as mais profundas modificações. Segundo a nova redação, a pena de detenção passa de seis meses a dois anos para seis meses a três anos, além de multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.
Caso o agente aja com culpa e o crime resulte em lesão corporal grave, a pena é de reclusão, de três a seis anos. Caso resulte em morte, a pena é de reclusão de cinco a dez anos.

Outras alterações
Por fim, está acrescentado exame toxicológico para verificação da influência de substância psicoativa e as penas de suspensão e proibição de se obter a permissão para dirigir não podem mais ser aplicadas como penalidade principal, só com outras penalidades.
Fonte: Nathália Alcântara  A Tribuna / Santos-SP


MINUTOS DE SABEDORIA

TENHA firmeza em suas atitudes e persistência em seu ideal.
Mas seja paciente, não pretendendo que tudo lhe chegue de imediato.
Há tempo para tudo.
E tudo o que é seu virá às suas mãos, no momento oportuno.
Saiba esperar o momento exato em que receberá os benefícios que pleiteia.
Aguarde com paciência que os frutos amadureçam para que possa apreciar devidamente sua doçura.

OPINIÃO DE PRIMEIRA

A ESSÊNCIA DA NOSSA HISTÓRIA PODE  DESAPARECER

A gritaria contra o abandono do patrimônio histórico da nossa tão querida Estrada de Ferro Madeira Mamoré é enorme, embora quem poderia resolver ou ao menos proteger nossos monumentos, faça de conta que não está ouvindo nada. Na imprensa, diariamente, o barulho é geral. No programa Papo de  Redação da Parecis FM, um dos mais ouvidos no Estado, chegou-se a propor que entreguemos a EFMM ao Acre, porque eles sim sabem cuidar e manter viva a História. A proposta do conhecido apresentador Everton Leoni teve apoio dos seus companheiros e de inúmeros ouvintes.  A teoria é óbvia: melhor abrir mão do que não se tem competência para cuidar, do que deixar que desapareça!  Nesta semana, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Hermínio Coelho também abriu o verbo para protestar contra o abandono do que nos é mais caro. Hermínio disse, entre outras coisas, que "infelizmente o que se constata no complexo da Estrada de Ferro é o abandono e a violência, com seguidas ocorrências de assaltos, estupros, brigas, prostituição de crianças e jovens, e até a comercialização e o consumo de drogas. Como o poder público não assume suas responsabilidades, a bandidagem toma conta do local”. O museólogo Antonio Ocampo tem brigado e protestado, praticamente todos os dias, tal qual um Don Quixote contra os moinhos,  exigindo em vão medidas que protejam o que temos de mais rico da nossa História e que está se deteriorando a olhos vistos.
Quem ama esta terra e sua maravilhosa História não pode deixar que a Estrada de Ferro Madeira Mamoré se torne, em breve, apenas uma citação do passado. Ou se resolve o problema agora ou em breve não se resolverá mais. Não adianta procurar culpados. Tem que se encontrar a solução urgente. Se nada for feito agora, em pouco tempo poderá ser tarde demais!
 MULTA RIDÍCULA - Atenção! Não usar cinto de segurança para quem anda de moto é infração grave de trânsito. Pelo menos para os geniais guardas de trânsito de Porto Velho. Não é invenção. Uma motoqueira recebeu uma multa de 127 reais, no último dia 15, porque estaria pilotando sem cinto de segurança, no bairro Embratel. O caso teve repercussão nas redes sociais, com cópia da infração e tudo o mais. Uma vergonha como essa deveria causar demissões e  puxões públicos de orelha. Ah, mas não aqui, onde a Semtran faz o que bem entende contra o pobre consumidor, sem que ninguém dê bola. Lamentável!
 AMEAÇAS REAIS OU FAKE? - Espalha-se nas redes sociais, grave denúncia  divulgada por uma rádio web gaúcha: membros da equipe da deputada federal reeleita Maria do Rosário, aquela mesmo que só defende direitos humanos de bandidos, avisam a eleitores , por  telefone, que, se o PT perder a eleição, os beneficiários do Bolsa Família perderão o dinheiro. Pode ser mais um fake - e há milhares deles todos os dias -, mas se não o for, é mais um escândalo que precisa ser investigado a fundo. O caso está sendo investigado.
 SALVOS PELO GONGO - Poucos dias do término do contrato da Marquise com a Prefeitura de Porto Velho, uma boa notícia, enfim. Um acordo foi intermediado, com participação do Tribunal de Cotas e do Ministério Público e oficializado na 2ª Vara da Fazenda Pública. O acerto determina que a Marquise mantenha o contrato com o município, recolhendo o lixo até que seja feita nova concorrência pública. Caso não houvesse esse acordo, Porto Velho poderia ficar mergulhado na sujeira, a partir de 1º de novembro.
MAIS 19 PONTOS - Atualmente, a Prefeitura paga pouco mais de 2 milhões e 100 mil reais à Marquise, por mês, para recolher o lixo. Houve uma tentativa (frustrada pelo Tribunal de Contras e Câmara Municipal), para fazer uma contratação emergencial, ao preço de 2 milhões e 350 mil reais, mas não deu certo. O valor aumentaria na emergência porque seriam incluídos mais 19 pontos de coleta. Como não funcionou a intenção, agora o município está obrigado a fazer concorrência, corrigindo detalhes do edital anterior.
QUEM FALA DEMAIS... - Quem fala demais, dá bom dia a cavalo! O antigo adágio popular vale para o Padre Ton, o petista que disputou o Governo no primeiro turno.  Ele deu várias declarações contra Confúcio e sua meta de reeleição, e,  em algumas delas, exagerou na dose. Chegou a dizer que preferia voltar a rezar missa a apoiar o projeto do PMDB. No segundo turno, por decisão do seu partido, inclusive em nível nacional, ele teve foi a público para se dizer aliado a Confúcio Moura. Se não tivesse falado demais, não precisaria estar dando tanta explicação....
 GRANA, MUITA GRANA! - Depois de longo tempo, esta quarta-feira pode ser um dia de muita alegria para ao menos um brasileiro. É que a Mega Sena está acumulada em nada menos do que 50 milhões de reais, algo assim em torno de 20 milhões de dólares, o que é uma fortuna em qualquer lugar do mundo. No final do dia, saberemos quem será o felizardo. Há menos de uma década, foi uma pessoa aqui da terra o premiado, o jornalista Roberto Kuppê. Não foi tanta grana, mas foi bom demais! Será que a dinheirama cairá de novo no bolso de algum rondoniense?
 PERGUNTINHAS - Confúcio ou Expedito? Dilma ou Aécio? Qual a dupla que, na noite de domingo, estará comemorando a vitória e qual a que estará tentando entender porque perdeu?
Fonte: Jornalista Sérgio Pires


MP de olho na generosidade do governo com países amigos

A situação da presidente Dilma se complica nas relações binacionais econômicas. O MP Federal está de olho na generosidade da administração do PT com países amigos como Bolívia, Cuba e Venezuela.

A operação do Porto de Mariel, perto de Havana, financiado com dinheiro do BNDES, está sendo leiloada pelos irmãos Castro com EUA e Rússia.
Enquanto ministro do Desenvolvimento e Indústria, Fernando Pimentel, eleito governador de Minas, doou R$239 milhões para o regime cubano com contrato secreto. Nada visto antes.
E a Bolívia acaba de receber, em setembro, meio bilhão de dólares da Petrobras, num adicional não previsto – para pagamento de gás retroativo – num trato de aliados. O episódio causou abertura de investigação no MPF.
O programa Mais Médicos, em parceria com Cuba, é outro mistério. A Saúde repassa cerca de R$ 10 mil a Cuba por profissional. O médico recebe menos que R$ 3 mil.
Fonte: Leandro / Coluna Esplanada - Brasília-DF